Quinta, Abril 27, 2017
   
Text Size

Pesquise no Portal Islam BR

Ignorância ou Preconceito?

Notícias - Islâmicas

Muçulmana é impedida de fazer a prova de renovação de CNH por usar Hijab. Ela fazia teste em São Bernardo para renovar carteira de motorista. Detran diz que vai abrir processo para apurar os fatos.

Ahlan Saifi, dona de casa acusa o Detran de impedi-la de terminar a prova de renovação da carteira de motorista. Ela é muçulmana e não quis retirar o véu que usava pelos motivos religiosos. O caso foi parar na polícia. Uma investigação foi aberta no 1º DP de São Bernardo do Campo, no ABC.

A avaliação já tinha começado no Centro de Formação de Condutores (CFC) quando Ahlan Saifi disse que uma funcionária a informou que ela só poderia continuar o teste se tirasse o véu. "Falaram que nenhum aluno pode entrar de boné, de gorro, com alguma coisa que não tenha como identificar."

Ela se recusou a tirar o acessório e explicou que isso é contra sua prática religiosa. "É um traje religioso, na verdade é o véu e a roupa por completo. É o hijab, que a mulher muçulmana tem que vestir", disse. Segundo ela, a prova foi bloqueada pelo Detran, que acompanha o teste pela câmera no computador. "Tive que levantar, pegar minhas coisas e sair. Deixei a prova pela metade."

A polícia já começou as investigações e vai chamar para depor as pessoas que trabalhavam no momento da prova. O Detran também será chamado a prestar esclarecimentos.

O Detran disse que Ahlam não pôde continuar a prova porque houve um problema no sistema de computadores da autoescola, que afetou todos os alunos que faziam o teste naquele momento. Mas informou que vai abrir um processo para apurar os fatos, entender o que houve e que pode tomar as medidas cabíveis, podendo até descredenciar a auto-escola.

O dono do Centro de Formação de Condutores, Orivaldo Marchi, disse que, provavelmente, houve um problema apenas no computador utilizado por Ahlam. Ele afirmou que ela poderá refazer o teste nesta segunda-feira (17).

Comunidade mobilizada

Durante a denúncia, Ahlan contou com o apoio da comunidade islamica. Estiveram presentes a Diretora do Colegio Islamico Brasileiro, Veronica Hannis de Lima, a Coordenadora do grupo de mulheres da mesquita Abu Bakr Assadiq, Fatima Dargham, assim como as irmas Rosangela, Lina e Jamile.

O Diretor do CDIAL, Ziad Saifi, afirmou que todas as medidas legais devem ser tomadas para evitar este tipo de situacao. "Nao vamos admitir, jamais, que qualquer atitude discriminatoria seja tomada contra nossas irmas. Se permitirmos que isso ocorra com uma muculmana, amanha serao outras que passarao pelas mesmas dificuldades", afirmou Ziad.

Clique aqui para assistir o vídeo da materia feita pelo SPTV, da Rede Globo.

 

Fonte: G1

Facebook

Twitter

Google Plus

YouTube

LinkedId

Banner
Banner
Banner

Traducir Translate يترجم

English Arabic French German Hindi Italian Japanese Russian Spanish